segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

A TEOLOGIA DOS MISTÉRIOS (parte 3) - ...cada letra possui um valor numérico nos dois idiomas. Então, cada palavra, cada frase, cada pensamento, além do significado original, pode ser pesado e avaliado pelo conteúdo numérico.

OS NÚMEROS DA BÍBLIA

Os homens de Deus, reis, sacerdotes e profetas no tempo do “Antigo Testamento”, bem como, o próprio “Senhor Jesus Cristo” e os demais escritores do “Novo Testamento”, falaram inspirados pelo Espírito Santo. O interessante é que todo esse conteúdo foi escrito em duas línguas principais, o hebraico e o grego; e cada letra possui um valor numérico nos dois idiomas. Então, cada palavra, cada frase, cada pensamento, além do significado original, pode ser pesado e avaliado pelo conteúdo numérico. 

Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra (2 Tm 3.16,17).

Muitas vezes, os servos do Senhor se utilizaram parábolas, símbolos e números, para inserirem a “Palavra” da qual eram mensageiros. Na Bíblia Sagrada, a Palavra de Deus, existe uma quantidade impar de mensagens que têm a capacidade de proporcionar a salvação eterna para a outra vida, ou seja, para existência pós-morte física. Bem como, inúmeras vezes mais bem-aventuranças, aqui, nessa vida.

Disse Jesus: E todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou terras, por amor de meu nome, receberá cem vezes tanto, e herdará a vida eterna (Mt 19.29).

Quer queiramos ou não, se crermos ou não crermos, estamos rodeados de um mundo espiritual que influencia e potencializa a vida de cada um de nós aqui. Afinal somos essencialmente espirituais! Por isso, a nossa mente registra e se propõe a executar tudo aquilo que nela é inculcada. Seja por meio de palavras, pensamentos ou ações de nós próprios, ou mesmo de algum outro agente emissor. Quer venham no sentido positivo ou negativo. Bastando apenas que aceitemos em nosso “eu”, aquela proposta como verdadeira. E aquilo, fatalmente, pelo menos em parte, acontecerá. Independentemente se nos venha proporcionar benefícios ou prejuízos. Certamente a maioria de nós já passou pela experiência de estar gozando de perfeita saúde, mas, tendo o interior abatido, ao findar o dia percebeu que quase nada deu certo.

E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo (1Ts 5.23).

CHAVE ESPIRITUAL

Toda vez que lemos ou ouvimos mensagens das Escrituras Sagradas, entendemos que Deus está disponibilizando uma chave espiritual para compreendermos a sua estratégia e os seus planos; para podermos vencer as nossas próprias lutas, embaraços e dificuldades da vida, e ainda, sermos úteis ao seu projeto original. E ele disse-lhes: A vós vos é dado saber os mistérios do reino de Deus, mas aos que estão de fora todas estas coisas se dizem por parábolas (Mc 4.11).

O Senhor Nosso Deus se comunica conosco abertamente e também por “chaves de segredos” as quais, só podem entender os que estão no mesmo Espírito. As chaves de Deus estão na Bíblia, elas não foram inventados pelo raciocínio ou pensamento humano, mas elas foram colocadas lá pelo Espírito Sagrado da Palavra, e ninguém será capaz de decifrá-las se não for pelo Espírito Santo.

Salomão escreveu: A honra de Deus é esconder a palavra; mas honra do rei é examinar a palavra ( Provérbios 25.02).

PRUDÊNCIA COM OS MISTÉRIOS

Toda arte, toda literatura, toda numerologia, toda profecia, toda musicalidade, bem como as letras que flutuam na pauta musical, devem ser colocadas à prova diante da luz da Palavra de Deus. Se houver contradição às ordenanças, determinações ou mesmo os conselhos sagrados; certamente não foram inspiradas por Deus. Portanto, cedo ou tarde, haverá prejuízo físico, material e espiritual para a vida daqueles que continuarem aprovando tais conceitos, quer seja na prática direta, ou à conivência com eles. 

Com relação aos números, “o impostor” age da mesma forma como ele atua na música e em outras áreas humanas. O algoz, o espírito da falsidade, sempre procura confundir e distanciar a cada um de nós do Deus Eterno.

Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo (1Jo 4.1).

O Senhor nosso Deus tem manifestado ao mundo o seu grande amor, por meio do seu unigênito filho – o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Você pode iniciar-se e aprofundar-se nos “mistérios” de Deus ao saber o significado que Ele dá à sua vida. Comece comprovando a Sua graça, na eficácia da “Palavra”. A revelação gradativamente se descortinará diante dos seus olhos. Você tem essa possibilidade! Leia, estude e medite os ensinos da Bíblia Sagrada.

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (Jo 8.32).

Pastor Renato Moura:

professor e coordenador pedagógico do SETADI - Seminário Teológico da Assembléia de Deus no Ipiranga.
brother.moura@yahoo.com.br



Publicado no Jornal "DIVULGADOR DA VERDADE" 
Órgão Oficial da Igreja Assembleia de Deus – Ministério no Ipiranga. Edição Número 02. Ano 46 - Novembro e Dezembro de 2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário sobre essa matéria será bem recebido.