segunda-feira, 22 de agosto de 2011

VETADO OUTDOOR COM VERSOS BÍBLICOS TIDO COMO HOMOFÓBICO - ...em nosso país ainda está em franca validade a “Liberdade de Expressão”, conforme preceitua o artigo 5º. da nossa Constituição...

  O Yahoo Notícias republicou uma matéria produzida pela jornalista Tatiana Farah para a agência “O Globo”, nessa segunda-feira dia 22 de agosto de 2011.
Nela se dá conta que, a justiça na pessoa do “juiz Aleksander Coronado Braido da Silva”, acatou uma ação civil que fora ingressada pela “Defensoria Pública do Estado de São Paulo”, contra a exposição de um outdoor considerado homofóbico.
Tal outdoor fora promovido pela “Casa de Oração de Ribeirão Preto” na semana passada. Nele estavam inseridas, tão somente, três citações bíblicas:

Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável... (Levítico 20.13 RA);

Por causa das coisa que essa pessoas fazem, Deus as entregou a paixões vergonhosas. Pois, até as mulheres trocam as relações naturais pelas que são contra a natureza. E também os homens deixam as relações naturais com as mulheres e se queimam de paixão uns pelos outros. Homens têm relações vergonhosas uns com os outros e por isso recebem em si mesmos o castigo que merecem por causa dos seus erros (Romanos 1.26.27 NTLH).

Portanto, arrependam-se e voltem para Deus, a fim de que Ele perdoe o pecado de vocês (Atos 3.19 NTLH)

O aludido Ilustre Meritíssimo Magistrado considerou que "a Constituição Federal protege a conduta do réu (a Casa de Oração de Ribeirão Preto) de expor suas opiniões pessoais, mas, ao mesmo tempo, também protege a intimidade, honra e imagem das pessoas quando violadas". E, por assim entender, e conforme as prerrogativas da sua função, determinou que fosse retirado o tal outdoor da via pública, o que foi feito um dia antes do desfile chamado de “Orgulho Gay de Ribeirão Preto”.
_______________________________

Compreendemos que o embate direto e franco entre posições contrárias poderia ser avaliado como o estopim para um confronto e, talvez, um distúrbio social. Entretanto, acredito que isso não aconteceria, pois o povo de Deus é um povo ordeiro. Mas, admitindo-se a possibilidade de correntes divergentes se encontrarem... Ora, não é isso que acontece quase todos os finais de semana nas capitais e no interior quando ocorrem as disputas esportivas? Cabe às forças auxiliares (Polícias) coibirem toda e qualquer violência. Porém, nunca e em hipótese alguma a “Palavra de Deus” poderia ser calada. Mesmo porque, em nosso país ainda está em franca validade a “Liberdade de Expressão”, conforme preceitua o artigo 5º. da nossa Constituição  incisos IV, V, IX e XIV, que reproduzidos a seguir:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
(...)

IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

V – é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;
(...)

IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura e licença;
(...)

XIV – é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional;
(...)

Essa tal, “Liberdade de Expressão” é que dá direito de ser realizada tal “parada gay”, onde é inequívoca a maioria hetero que ali mora e ou transita. Mas, também, é a mesma "Liberdade" que dá o sagrado direito da manifestação contra. Afinal, direito é direito e a justiça deve ser e é, apartidária!
Assim, vemos a necessidade de nos engajarmos num movimento de oração em favor da nossa Pátria, para que, em casos como esse, juristas de gabarito e de bons costumes que cultuam ainda o ideal da fé e da família, apareçam e façam a defesa da crença nos parâmetros da Bíblia Sagrada e da fé, também sagrada, à nossa “Carta Magna” onde no inciso X do artigo 5º lemos:

X – são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito à indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua convicção.

Nesse caso, fica claro que, a “Casa de Oração de Ribeirão Preto” não colocou a público a intimidade ou a vida privada de ninguém. Apenas colocou a publico versículos bíblicos que condenam o homossexualismo, mas não apontou nem um nome de quem quer que seja. Se alguém fez isso, foram eles mesmos que se organizaram e pretendiam sair, como de fato saíram, colocando diante da imprensa, falada, escrita e televisada, isto é, a todo o público a sua “Parada Gay”.  
Se estes parcos, insuficientes e precários argumentos fossem juntados ao processo, certamente, seriam o bastante para que a sentença fosse diferente.  
Se os tais referidos juristas fornecessem ao “Ilustre Magistrado” os subsídios necessários e inerentes à questão, acredito que o “Juízo” poderia, em assim sendo, julgar, ao nosso ver,  de forma mais justa.

Que Deus nos ajude!
Pastor Renato Moura

Meu comentário postado ao pé da notícia original.
Em 22 de agosto de 2011

Homens e mulheres de Deus desse país! Está aí, essa minoria barulhenta (comparada com o todo) tem conseguido atropelar o nosso direito constitucional da liberdade de expressão inserido em nossa Carta Magna. Mas, lembremo-nos: "Em tudo o nome de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo há de ser glorificado".
Não nos acovardemos diante do pecado: usem os meios legais e pressionem os afeiçoados ao pecado. Eles que façam o que quiserem de si próprios; logo eles terão que prestar contas a Deus. Porém o nosso direito de nos manifestarmos contra, não pode ser usurpado. Manifeste o seu protesto enviando uma carta ou um email ao seu Deputado Estadual, Federal e Senador.
Parabéns "Casa de Oração de Ribeirão Preto"!

6 comentários:

  1. Norberson S. Marques23 de agosto de 2011 05:43

    Pr.
    Vivemos um tempo em que a desinteligência toma conta do País. A falta de instrução faz com que a população seja massa de manobra de alguns, as pessoas não têm opiniões próprias; politicas de cotas frequentemente são discutidas e implementadas sem que a opinião publica se pronuncie, e o pior, grande parte da população não sabe o que são "Politicas de Cotas".
    França e Inglaterra, entre outros, comprovam que tais politicas criam o "apartheid moderno", frequentemente suas ruas e cidades viram palco de guerra para grupos extremistas de dezenas de segmentos diferentes, todos os grupos sociais que se sentem excluídos ou têm crises existenciais vão para as ruas, promovem quebra - quebra, muita violência, mortes e imensos prejuízos a eles mesmos.
    Ora, se vemos isso em paises de primeiro mundo, como nós, que não temos as mesmas instituições policiais, o mesmo poderio econômico e tampouco instrução cultural, social e educacional que eles estamos nos permitindo caminhar na mesma direção que um dia eles caminharam adotando tais politicas de cotas que segregam e separam as pessoas por grupos sociais e promovem o ódio a intolerância, a desinteligência e fomentam a violência???

    O fato de um Juiz de Direito ordenar a retirada de tal outdoor, para mim não é nada inesperado e tampouco retira o direito a livre expressão dos evangélicos, este homem que teve a coragem de ordenar tal retirada deve ser visto como uma pessoa esclarecida que acredita no direito de livre expressão de cada um.
    Nós "Cristãos" criamos a "Marcha para Jesus", o que deu a outros, o direito de marcharem pelo que quiserem.

    É tempo de os formadores de opinião, Pastores, Anciãos, Presbíteros, Diáconos, Lideres e todo o povo evangélico, se unir em torno de um só Fé, de um só objetivo, que é falar de Jesus, pregar a Salvação e se privar de "picuinhas menores", a todo instante aparece um individuo na imprensa, na tv, jornal, entre outros se dizendo evangélico requerendo direitos; é hora de tomar atitudes, de retomar a Fé Original e se conscientizar de que servir a Deus não é um mar de rosas e também não é a coisa mais dificil do mundo.
    Precisamos parar de lamentar, Orar, Jejuar, Falar do verdadeiro Cristo e deixar de tomar parte de trechos biblicos, fora do contexto original e usa-lo para justificar suas ideologias.

    ResponderExcluir
  2. muito bom esse blog parabéns pastor,nada mas que justo, fazer-mos o possível ara que nossa geração vindoura seja pessoas de fé e consciência de ética e moral. Deus o abençoe!

    ResponderExcluir
  3. Agradeço o seu valioso comentário prezado irmão Norberto S. Marques. É verdade, o que o povo de Deus precisa mesmo é continuar a fazer o que já vem fazendo: atender o "Ide pregai" que o próprio Senhor Jesus Cristo determinou e está registrado em Marcos 16. 15. Só que, de uma maneira mais abrangente levando, sobretudo, o amor de Deus às almas enganadas pelas astutas ciladas do inimigo. Sim, querido irmão, devemos nos livrar das "picuinhas menores" sempre que elas forem menores de fato. Deve-se deixar de usar textos fora de contextos. A proposta é: que se apliquem citações bíblicas somente quando estiverem relacionadas aos fatos. Para que se alcance os devidos objetivos alertando os concidadãos a que, se submetam voluntariamente à misericórdia de Deus.
    Dirijamos, pois, a nossa pregação ao alvo principal; aquele que resgata os pecadores da sua vã maneira de viver, e o transforma pelo poder restaurador do sangue de Jesus, vertido na cruz do calvário, em lugar deles e de todos nós. Porque estamos todos debaixo da mesma supremacia, aquela... Do imutável amor e justiça de Deus.

    ResponderExcluir
  4. Agradeço a irmã Lindinalva Alves por sua postagem e por seu cumprimento pelo blog.
    Quanto a geração ou gerações futuras... Está nas mãos de Deus. O que não podemos fazer é nos calarmos diante dos descaminhos aonde trafega a humanidade. Preguemos... Afinal, somos os arautos da verdade!
    Porque... Deus
    não perdoou ao mundo antigo, mas guardou a Noé, pregoeiro da justiça, com mais sete pessoas, ao trazer o dilúvio sobre o mundo dos ímpios (2Pedro 2.5).

    ResponderExcluir
  5. Pastor Renato Moura, para mim os dois lados estão errados, primeiro que a Igreja não precisar fazer apelos preconceituosos para ofender os gay e depois falar isso ta certo, ''é da bíblia''.E avaliando esse Outdoor como um todo, a pessoa que o fez soube manipular os versículos, tornado um texto homofóbico.E ate mesmo o Sr. parece um homofóbico quando diz Homens e mulheres de Deus desse país! ''Está aí, essa minoria barulhenta (comparada com o todo) tem conseguido atropelar o nosso direito constitucional da liberdade de expressão inserido em nossa Carta Magna''.
    Mas não tiro a razão da igreja pois isso de Parada gay e uma falta de respeito, do mesmo jeito que acho que orgulho negro.
    Para mim isso é para chamar atenção e afirma á sociedade que eles existem e merecem respeito, só apenas estão fazendo da maneira errada.

    ResponderExcluir
  6. Engano seu querido Gleydson, não sou homofóbico! Muito pelo contrário, nunca fui a favor da perseguição ou de qualquer tipo violência. Mesmo porque, essas atitudes não são cristãs. Entretanto, me reservo sim, o direito de discordar de práticas opostas aos ensinos registrados na Bíblia Sagrada. E quero lhe assegurar que, faço isso sempre que tenho oportunidade; de maneira clara, biblicamente objetiva e mesclada com palavras que distinguem o amor de Deus para toda à criatura.
    Entendo a sua posição que a principio foi contrária, mas depois deixou claro que a sociedade merece respeito. É isso que preconizamos: a liberdade de expressão!
    Que o Senhor Jesus abençoe a sua vida!
    Pr. Renato Moura.

    ResponderExcluir

O seu comentário sobre essa matéria será bem recebido.