domingo, 24 de fevereiro de 2008

O TRAVESSEIRO DO BEIJA-FLOR... Hoje redescobri o sal suando, e as lágrimas na face que se amedronta...


O TRAVESSEIRO DO BEIJA-FLOR

Com razão e sem. Cem vezes, sim!

Mas o não é imperativo, fosco, tosco, negativo... Mas, também é positivo sim, ao mesmo tempo. E misturando emoções com o peso amargo-fel das situações imaginárias, mas, que foram criadas, erguidas e feitas concretas... Outro tombo, outro baque desnudando e demonstrando que o nosso amor consistente – não existe. Ele é inconseqüente, frágil, transitório e cruel!

Perderam-se as ilusões da ingenuidade, da doçura e da pureza inexistente.

Ele... Deixou ferida e agonizante a euforia da presença, do desejo, do beijo e das ilusões secretas. O amor...? Não! O imprevisto.

Confesso: os meus olhos não sorriram mais. Mas, as lágrimas... “Ah” elas lavaram a fronha do meu travesseiro. E justo agora, quando o outono se aproxima...

Eu que deduzi que teria o frescor da brisa e das águas calmas cristalinas. Hoje redescobri o sal suando, e as lágrimas na face que se amedronta diante do silêncio na madrugada adentro.

Nunca conjuguei o verbo emudecer, por isso, tenho que me manifestar e permanecer... Não mais nesse ir e vir, para não explodir - por dentro. E se o telefone não tocar em 5 minutos... Melhor, 10 minutos... Não! Trinta minutos... Trinta minutos, nem um segundo a mais! Se eu não receber a sua ligação, inocente, mas, verdadeira e consciente, me pedindo perdão. Não voltarei; jamais! Não. Porque essa maleabilidade fica além da minha capacidade terrena. E além do mais, eu não volto atrás, porque aí sim, eu estaria entrando na outra centena.

O amor foi feito para ser comovido, vivido e sentido de uma forma tranqüila, boa, serena... Cintilante também, multicor... No alvorecer do dia; como nas asas de um beija-flor. Porque ele vem, e com seu vôo ligeiro passa. Mas, deixa estampada na lembrança, o que nem a gente sabia: a beleza da sua graça.

Mas ele sempre volta... Atrevido volta; seguro e desinibido... Tão lindo, tão singelo... Parece que diante dele não há espinho! Será que ele tem travesseiro no ninho? E apenas num piscar de olhos; sem tirar nem por, me vejo voando também... Nas asas do amor!

Ah! Que pena! Com suas penas, multicolorido beija-flor... Você vai e volta ligeiro, mas, o meu ser, aqui, é prisioneiro do descompasso!

Esvaíram-se os minutos; esgotou-se o tempo!

E agora? o que é que eu faço?

© Renato Moura – publicação livre – se indicado o autor daaeudta

Disse Jesus:
Até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais pois; mais valeis vós do que muitos passarinhos (Lucas 12.7).

2 comentários:

  1. PARABENS PASTOR MUITO LINDO
    EU FIQUEI EMCANTADA
    COM OS EMCINAMENTO COM TDO
    QUI MARAVILHA
    SO DE VC EMTRAR JÁ SENTI AH PRESENÇA DE DEUS VIVO
    ALELUIAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
    GLORIA DEUS
    JESUS ABENÇOA ESTE HOMEM DO PAI QUI MARAVILHA
    BJS FICA NA PAZ DO SENHOR
    UM ABRAÇO

    ResponderExcluir
  2. Parabens Pastor!!!
    Fico feliz por ter o senhor como meu amigo no orkut.
    Gostaria de ir em Sao Paulo
    fazer uma vizita.
    PAZ DO SENHOR JESUS CRISTO.

    ABRAÇO

    ResponderExcluir

O seu comentário sobre essa matéria será bem recebido.