quarta-feira, 9 de março de 2011

A TEOLOGIA ESTUDA A BOA NOTÍCIA - Deus, em Seu incomparável poder e graça, dotou-nos com a capacidade natural da intuição. Além disso, proveu dessa mesma faculdade aos convertidos; agora com a amplitude de um dom extraordinário: o discernimento (1Co 12.10).


Deus, em Seu incomparável poder e graça, dotou-nos com a capacidade natural da intuição. Além disso, proveu dessa mesma faculdade aos convertidos; agora com a amplitude de um dom extraordinário: o discernimento (1Co 12.10). Dessa forma, é imperioso que até servos com certa ou grande bagagem de experiências, como Piper, por exemplo, necessitem fazer uma profunda revisão em seus conceitos; ao menos nesse sentido de diferenciar “notícia” da “teologia” ou vice-versa. E necessitam fazer isso sem preconceitos e sem medo, afinal Jesus nos livrou de toda escravidão (Lc 4.19).
Nós sabemos que a palavra “teologia” não se encontra na Bíblia. Mas, não confundamos essa palavra. Ela não é Deus, nem espírito, nem vida... É apenas um vocábulo que define uma matéria específica. E essa disciplina sim, se encontra mesclada aos textos sagrados e não podemos dizer que não!
Como a maioria das palavras ocidentais, ela é de origem grega, e, de acordo com o pensamento dos sábios, “Teologia” é a ciência que estuda sobre Deus e os assuntos relacionados à crença. Já no sentido cristão, é a ciência sobre Deus e as coisas divinas à luz da Bíblia Sagrada ou relacionadas a ela.
Assim, amados, quando falamos sobre os atributos de Deus, Sua graça e amor manifestados na pessoa do Filho; Seu nascimento virginal; Sua vida, morte e ressurreição – estamos, querendo ou não, passando pela “Teologia”. Não existe argumento, nem contra argumentos que possam combater isso. É uma realidade que aí esta, pura e simples assim!
Quando anunciamos o “Evangelho” colocamos em evidência a boa notícia, e antes de levarmos essa boa notícia precisamos conhecê-la, assimilando-a na sua completude. Porque não podemos sair por aí pregando aquilo que não sabemos, é indispensável que cresçamos na graça e no conhecimento (Lc 2.52). E como fazem os bons jornalistas, precisamos “checar” as fontes; para levarmos aos que nos ouvirem, uma notícia autêntica, eficaz e que, de fato, venha da parte de Deus para produzir o resultado que Ele mesmo deseja.
Essa é a aplicação coerente da matéria “Teologia”.
Que Deus nos abençoe mais e mais, segundo a Sua misericórdia, para que possamos nos despojar do velho homem (Fl 4.22), e dessa forma nos aperfeiçoarmos na intenção de Jesus o Mestre dos mestres.

Pelo poder dos sinais e prodígios, na virtude do Espírito de Deus; de maneira que desde Jerusalém, e arredores, até ao Ilírico, tenho pregado o evangelho de Jesus Cristo (Rm 15.19,20a).

Seu companheiro na obra do Mestre,
Pr. Renato Moura

2 comentários:

  1. Pr Renato, não entendi a citação de Piper. O que ele tem a ver com esse post?

    Obrigado, Marcos.

    ResponderExcluir
  2. Querido Marcos!
    A citação de John Piper nessa postagem, foi em resposta a um proveitoso comentário feito junto ao "post": "Tem gente que não gosta de Teologia".
    Fique na paz do Senhor Jesus

    ResponderExcluir

O seu comentário sobre essa matéria será bem recebido.