sábado, 18 de fevereiro de 2012

CARNAVAL - E AS SOBRAS DAS CINZAS. Eu não sou carola, tenho samba no pé e vou desfilar na escola.


CARNAVAL - E AS SOBRAS DAS CINZAS

Pr Renato Moura

Anunciei Jesus, mas não consegui atingir a sua alma.
O não, veio sem ranço e até com calma:
– Não pastor! Fé eu já tenho e sempre que estou apurado, é aqui que eu venho. Não me leve a mal, está começando o carnaval. E eu não sou carola, tenho o samba no pé e vou desfilar na escola.

Ele sempre fora um bom moço: honesto, dedicado à família e, segundo me dizia, pretendia casar-se em breve. Sua noiva era uma linda morena. E por ser por ele tão querida, comungava também, das suas intenções, do seu bem e da sua vida.

... Na quarta-feira, na rua, bem tarde após um culto abençoado, me deparei com um vulto desorientado. Ao chegar mais perto, o reconheci. A sua fisionomia era outra, as suas mãos tremiam e eu percebi o seu olhar introspectivo.
 

Titubeando ele falou:

– Pastor... No desfile... Eu perdi.
– Perdeu o quê? o título, a escola?
– Não! A escola ganhou, eu é que perdi. 

Pastor!  eu perdi o meu amor!

Quem abrir uma cova, nela cairá. (Ec 10.8a).

© Pr. R Moura – Publicação livre – se indicado o autor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário sobre essa matéria será bem recebido.