terça-feira, 8 de setembro de 2015

COMOÇÃO DIANTE DA TRAGÉDIA DOS REFUGIADOS - As reações provocadas pelo drama que envolve os protagonistas não de uma ficção...

As reações provocadas pelo drama e a tragédia que envolve os protagonistas não de uma ficção, mas de uma realidade áspera, brutal e chocante. E acontece diante dos nossos olhos, embora estejamos aqui na América do Sul, a aproximadamente 10.000 Km daquele fatídico palco da vida real.
Então, como cristãos que somos, olhamos para a “Palavra de Deus”, e lemos a advertência de Cristo, nosso Senhor e Salvador:

Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima (Lucas 21.28).

E pelo mesmo motivo, a nossa fé, que é embasada no amor de Deus, oramos por todos aqueles sofredores e repetimos a essência do clamor do salmista:

"Ouve, Senhor, a minha oração, e inclina os teus ouvidos ao meu clamor; não te cales perante as minhas lágrimas, porque sou um estrangeiro contigo e peregrino, como todos os meus pais."  (Salmos 39.12)

REINO UNIDO – David Cameron, primeiro-ministro britânico, afirmou na sexta-feira que Grã-Bretanha acolherá milhares de refugiados sírios e assegurou que o seu governo vai aumentar as possibilidades ao longo da crise, mas está pensando tanto com a cabeça, como com o coração para ajudar os mais necessitados.
E nós, expectadores das declarações governamentais dos líderes do mundo esperamos que eles  deixem de lado a retórica, e passem para a ação socorrista que já está muito atrasada...
Bem, continuando... 

Nenhum número foi colocado pelo Sr. Cameron, mas ele disse que os refugiados extras viriam de campos que fazem fronteira com a Síria e nãos dos que já se encontram na Europa. O primeiro-ministro havia dito no inicio da semana passada que aceitar mais pessoas não era uma resposta simples para a situação, descrita por alguns como a pior crise humanitária desde a Segunda Guerra Mundial.

Acredita-se que o governo britânico mudou a estranha apatia diante da trágica crise humanitária que está abalando o mundo. Pois o primeiro-ministro anunciou outro aporte de 100m £ em ajuda humanitária para refugiados em campos na Síria, Turquia, Jordânia e Líbano.
Fonte: Jornal Virtual da BBC
 www.bbc.co.uk/news/uk-34148913

Cameron escreveu em sua conta no Twitter:
"Eu posso anunciar que aceitaremos milhares de refugiados sírios, no âmbito dos programas existentes, mas vamos continuar analisando hoje”. "A migração é o maior desafio que os países enfrentam hoje na Europa e o Reino Unido tem a responsabilidade moral de ajudar os refugiados", completou Cameron.
Fonte: Esteban Correa – Ministério Avanza Por Mas
http://avanzapormas.com

BRASIL – Em mensagem gravada para as redes sociais, por ocasião da Independência do Brasil, na segunda-feira dia 7, a presidente da República, Dilma Roussef, declarou que o país está de braços abertos para receber os refugiados. 
A mandatária lembrou o menino sírio Alan Kurdi, (com 3 anos de idade) que se afogou (com seu irmão de 5 anos e sua mãe), quando ele e a família tentavam fazer a travessia de barco no mar da Turquia. A presidente afirmou que a imagem do menino encontrado morto na praia "comoveu a todos e deixou um desafio para o mundo". 
Fonte: Notícias Terra
http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/dilma-brasil-esta-de-bracos-abertos-para-receber-refugiados,4989d75da0c0c6f5b9457cf9a32cdf8bxb2lRCRD.html;

BRASIL RECEBEU MAIS SÍRIOS NA AMÉRICA LATINA

Na América Latina o Brasil destaca-se como o país que mais concedeu asilo a refugiados sírios. No continente americano, só o Canadá recebeu 2.374 enquanto o Brasil recebeu 2.077 refugiados entre janeiro de 2014 e janeiro deste ano. Os Estados Unidos recebeu 1.243 imigrantes.
Camparado com os países sul-americanos, o número asilos concedidos pelo Itamarati é bem superior. A Argentina concedeu asilo a apenas 233 sírios segundo o Conare argentino. O Uruguai, a 117, dados fornecidos pelo Ministério das Relações Exteriores. O Chile, abrigou 10 imigrantes, segundo as autoridade chilenas.
Mesmo assim, o Brasil recebeu bem menos do que Alemanha (65.075), Suécia (39.325), Noruega (2.995), Bélgica (5.430), França (4.975) e Reino Unido (4.035), segundo dados da Eurostat.
SOLICITAÇÕES DE REFÚGIO CONCEDIDAS POR PAÍSES:
Brasil:  2.077 – Argentina: 233 – Uruguai: 117 -  Chile: 10 -  EUA:  1.243 – Canadá:  2.374 - Reino Unido:  4.035 – Grécia:  1.275 – Espanha:  1.335 – Itália: 1.005 – Portugal: 15 – Noruega:  2.995 – França: 4.975 – Bélgica: 5.430 – Suécia: 39.325 – Alemanha: 65.075.
Estes dados correspondem às estimativas até o 2º trimestre de 2015.

Com referência à Grécia, Espanha e Portugal são até o 1º trimestre de 2015.
A estimativa da Argentina é até 2014 e os dados do Canadá são de 2014 a 2015, apenas.
Dados: Conare brasileiro, Conare argentino, Ministério do Interior chileno, Ministério das Relações Exteriores do Uruguai, Departamento de Estado americano, Eurostat, Citizenship and Immigration Canadá

Fonte: Jornal Virtual da BBC
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/09/150904_brasil_refugiados_sirios_comparacao_internacional_lgb

ARGENTINA – O governo argentino abriu a possibilidade de abrigar mais cidadãos sírios que conseguirem fugir da guerra civil em seu país e buscarem refúgio na Argentina.
O chefe de gabinete de ministros, Aníbal Fernández, afirmou a jornalistas na sexta feira passada, dia 04/09/15, que o Departamento de Migrações emitiu resolução em outubro de 2014 “que facilita o ingresso de sírios na Argentina, afim que eles deixem a situação de guerra”. Declarou ainda que, seu país tem um enorme prestigio no reconhecimento dessas situações. Confessou ainda que ficou abalado com a foto do menino Alan Kurdi, morto afogado na costa da Turquia que repercutiu por todo o mundo. 
Estes dois garotos sorridentes que você vê, são os dois irmãos que se afogaram no mar da Turquia quando
seus pais tentavam chegar à Grécia com destino final no Canadá, onde uma tia mora. O pai dos garotos, perdeu também sua esposa Rehan, 35 anos.
Uma série de contingências aconteceram na vida deste homem, Abdullah Kurdi, e de sua família. Eles por terem etnia curda não receberam documentos sírio que os considerava rebeldes. Somente alguns, receberam, no caso eles não. Mesmo assim chegaram à Turquia que abriga os refugiados por um período e dão para eles facilidades de transferencia para outro país.
Porém, sem documentos as possibilidades eram nulas. Dessa forma, tentaram por sucessivas vezes deixar a Turquia e prosseguir o objetivo traçado: Canadá. A viagem seguinte, outras vezes adiada, foi esta que acabou matando seus dois filhos e a esposa.

No último contato que ele fez com sua irmã em Vancouver - Canadá, Abdullah disse que só queria voltar para sua cidadezinha destroçada pelos combates entre o estado islâmico e os curdos, e enterrar sua família. 

Pastor Renato Moura
Fonte: seção política do Perfil - Jornal Virtual
http://www.perfil.com/politica/Dice-Anibal-Fernandez-que-seria-simple-recibir-a-refugiados-sirios-20150904-0008.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário sobre essa matéria será bem recebido.