sexta-feira, 16 de agosto de 2013

INCÊNDIO CRIMINOSO DESTRÓI 2 LIVRARIAS DA SOCIEDADE BÍBLICA DO EGITO

Ataques ocorreram em 14 de agosto, dia em que aconteceram os mais violentos protestos no país.

A Sociedade Bíblica do Egito foi vitimada pela violenta crise institucional que abala o país desde 3 de junho, quando o presidente Mohamed Morsi foi retirado do governo em um golpe militar. Duas livrarias da entidade, que ficam localizadas nas cidades de Assit e Mimia, no sudeste do Egito, foram incendiadas em 14 de agosto, dia em que ocorreram os mais violentos protestos no país.

Nenhum colaborador da Sociedade Bíblica ficou ferido. Por temer a violência dos protestos, a direção da entidade optou pelo fechamento das livrarias e os funcionários foram dispensados. Outras lojas vizinhas às livrarias foram atacadas. Os carros estacionados ao longo dessas ruas foram destruídos.

A Sociedade Bíblica do Egito está em operação há 129 anos e, pela primeira vez, sofreu um ataque dessa natureza. Ramez Atallah, secretário-geral da entidade, agradeceu a Deus pelos colaboradores terem saído ilesos do ataque. Agora, ele pede a todos os cristãos que orem pela rápida restauração dessas livrarias, para que possam continuar a levar a mensagem bíblica aos egípcios.


Ao meu ver,  todo o extremismo leva ao caos.
Vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus (João 16.2).

Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, o maior pregoeiro da
paz que esse mundo já viu, preconizava a divulgação e a prática da convivência pacífica entre os contrários. 
Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro (Mt 13.30). 
Embora, Nele também não houvera a passividade e a conivência com os desvios ou rebeldia aos desígnios sagrados, a Sua palavra sempre foi de alerta e ponderação em todos os sentidos. Nunca vimos o Mestre incitando o confronto religioso ou o embate em vias de fato.  
Em Seus ensinos Ele expunha o perigo da continuidade no pecado; apontava a direção a seguir; e proporcionava a transformação de vida para os seus interlocutores. Sem imposição, sem nenhuma violência, apenas com ponderações e alegorias tão simples, mas, ao mesmo tempo, tão profundas que penetravam na alma daqueles que o ouviam. Jesus exteriorizava o Seu evangelho alicerçado em poderosas ações de amor.
E esse conhecimento Ele passou reiteradas vezes aos seus discípulos:
E, em qualquer casa onde entrardes, dizei primeiro: Paz seja nesta casa. E, se ali houver algum filho de paz, repousará sobre ele a vossa paz; e, se não, voltará para vós (Lc 10.5,6).

Na igreja primitiva vemos que o apóstolo Paulo assimilou a lição. 
Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns (1Co 9.22).

Não adotamos a cumplicidade com a imoralidade, corrupção, desonestidade ou quaisquer desmandos, pois tudo isso é caracterizado na Bíblia como pecados contra o Senhor.  
Por isso, reservamos o direito dado por Deus da manifestação com “todas as letras”, quando bestialidades ferirem os interesses do Criador.  
Ainda que muitos não entendam, nós, como servos da atualidade, continuamos seguindo o Nosso Mestre e Senhor! 

Pastor Renato Moura.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário sobre essa matéria será bem recebido.