quinta-feira, 12 de abril de 2012

PASTOR ALCIDES FÁVARO – PROPRIETÁRIOS OU MORDOMOS. A administração de nossa vida em toda a sua extensão física, moral, material...

Mordomia é o exercício das funções de mordomo. O mordomo, por sua vez, trata da administração de uma casa ou de bens de outrem. As palavras: família, casa, pai de família, bens, mordomo, servo, administrador, estão ligadas diretamente ao exercício da mordomia. Também entendemos que a administração de nossa vida em toda a sua extensão física, moral, material e espiritual, deve estar em conformidade com a palavra de Deus. Quando assim fazemos, somos “MORDOMOS DE DEUS”. E, em se tratando da obra do Senhor, precisamos exercer com fidelidade todas as atividades, na qualidade de verdadeiros mordomos Dele.
Ser proprietário significa possuir alguma coisa, ser dono, senhor ou possuidor de bens imóveis e móveis. Comparando-se então, “mordomo” com “proprietário”, fica claro que são papéis diferentes.
Não são poucos os que se tornam proprietários de igrejas, tesourarias, departamentos, patrimônios de bens imóveis e móveis, de campos eclesiásticos agindo de forma absolutamente ilícitas.
Na parábola do “Mordomo Infiel”, em Lucas 16.1-12, lemos que o mordomo era fiel, mas, tornou-se infiel posteriormente:
1.       O mordomo dissipou os bens do seu senhor (Lucas 16.1b). Ou seja, gastou fraudulosamente o que lhe fora confiado. Alguém o denunciou ao patrão, que o chamou a sua presença e disse: “Que é isso que ouço de ti?” A palavra de Deus é muito clara e tem o seu cumprimento: “... Porque nada há encoberto que não haja de revelar-se” (Mateus 10.26); “Aos fieis, são dados galardões” (Apocalipse 22.12); “A outros, porém, reprovação e condenação” (1Coríntios 3.13,15).
2.       O mordomo infiel que controlava as dívidas de dois devedores do patrão era inteligente; procurou fazê-los de amigos para o seu futuro. Ao primeiro fez-lhe um desconto de 50%, e ao outro, de 20%. A alegria dos devedores durou pouco, pois a esperteza do mordomo infiel não foi levada avante e tudo foi muito passageiro (Lucas 16.5-7). E como será no dia do juízo, quando faremos a nossa prestação de contas diante do Senhor?
Sabemos com muita tristeza que alguns obreiros eram fieis no início de seus ministérios e mordomos fieis, mas  passaram a ser, de forma ilícita, “proprietários de bens móveis e imóveis, e até do rebando do bom pastor Jesus Cristo”. 
Não estou dizendo que não podemos ser proprietários de imóveis ou móveis, com trabalho e dedicação de forma justa e honesta; entretanto não devemos nos locupletar usando recursos que não nos pertencem, e que são exclusivamente de Deus.
A fidelidade é um princípio para todo o servo do Senhor, e é um fator preponderante do caráter cristão!
                                                      
Pastor Alcides Fávaro 
Presidente da Assembleia de Deus Ministério no Ipiranga e da COMOESPO – Convenção dos Ministros Ortodoxos do Estado de São Paulo e outros.
Transcrito do Jornal Patmos - pelo Pr Renato Moura.
Com autorização do autor: Pr Alcides Fávaro.
PATMOS JORNAL – Jornalista: Pr Osmar Lino - Ano 1 - Edição 2 – Abril de 2012.
 

quinta-feira, 5 de abril de 2012

O Coelho da Páscoa foi preso ontem nos Estados Unidos - Coelhinho da Páscoa o que trazes prá mim?

O coelho vai comemorar a Páscoa na cadeia.

No Estado americano de Ohio, na cidade de Mentor, a polícia prendeu o coelhinho da páscoa, e vc sabe pq?  Ele foi preso por ser acusado de praticar um roubo.

E agora milhões de pessoas em todo o mundo podem ficar sem os ovos de chocolate no próximo domingo.

Ei! Não se apavore!

Quem foi preso ontem, dia 04 de abril, na verdade, foi Justin Medema, que fantasiado de coelho da Páscoa trabalha numa casa de idosos, em Mentor – Estados Unidos.

Justin Medema é acusado de ter roubado mais de US$ 1.600 (cerca de R$ 2.900) em DVDs, de uma loja na cidade. 

O individuo estava tirando a fantasia de coelho em sua casa, quando os policiais o prenderam. Ele confessou o crime e irá ao tribunal depois da Páscoa.

Enquanto aguarda o julgamento ele permanecerá recolhido à disposição das autoridades.
Notícia original publicada no Uol - Tabloide – dia 04/04/2012 - 10h12

Correlacionando com essa notícia aproveito para lembrar que, a palavra em português “Páscoa”, na língua hebraica “Peseak”, significa: passar por cima; pular além da marca; ou passar sobre... Relembra o cordeiro pascal que serviu de última refeição no Egito e a passagem do anjo destruidor que feriu de morte os primogênitos nas casas onde não havia marca de sangue nos umbrais das portas. Esse fato proporcionou, sob a liderança de Moisés, a fuga e a libertação do povo de Israel do cativeiro egípcio, e, assim partir em busca da “Terra Prometida” (Ex 12.1-36). Esse ato memorável, por determinação divina, passou a ser comemorado como símbolo da libertação.

Com o evento de Cristo, essa festa da Páscoa foi substituída pela “Ceia do Senhor” que se comemora espiritualmente e usa como símbolos o pão e o vinho, os quais lembram a carne e o sangue de Jesus que foi morto em nosso lugar na cruz do Calvário. E proporciona oportunidade à renovação espiritual e moral que, em suma, aponta para a transformação de vidas.

Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo (IICo 5.17)

Portanto, o sangue de Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, lava e purifica, isto é, proporciona a remissão, o perdão e a transformação de todos aqueles que Nele crerem. (Lc 22.1-20; 1 Co 5.7).

O apóstolo Paulo deixa claro que Cristo é a nossa “Páscoa: Expurgai o fermento velho, para que sejais nova massa, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado (ICo 5.7).

Não somos hipócritas, chocolate é muito gostoso e faz bem, exceto para os diabéticos e aqueles que tem problemas com a balança. Mas, sejamos honestos, a “Páscoa Cristã” não tem nada a ver com ovo de coelho. Primeiro porque: coelho não bota ovo, nem de clara e gema e, muito menos de chocolate. E segundo, esse costume não passa nem perto dos ensinos bíblicos que nos remetem à lembrança de Jesus e a sua obra meritória para nos salvar.

Coelhinho do páscoa o trazes prá mim?
A resposta verdadeira a essa pergunta seria:

“Trago um engodo, uma mentira, trago ilusões das festas da deusa Eostre ou Ostera da mitologia nórdica e germânica com suas lebres e ovos coloridos – símbolos da fertilidade e de renovação nos seus cultos pagãos. Eu me utilizo desses artifícios para distanciar as pessoas e principalmente as crianças da verdadeira páscoa instituída por Deus”.

Ao manusearmos a Bíblia Sagrada, a palavra de Deus, encontramos outra vez o apóstolo Paulo falando sobre a “Páscoa”, ou seria da Ceia do Senhor? Tire você mesmo as suas próprias conclusões. Este é o texto:

Porque recebi do Senhor o que também vos entreguei: porque o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou pão; e, havendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo pacto no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim. Porque todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes deste cálice estareis anunciando a morte do Senhor, até que ele venha. De modo que qualquer que comer do pão, ou beber do cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma do pão e beba do cálice. Porque quem come e bebe, come e bebe para sua própria condenação, se não discernir o corpo do Senhor. Por causa disto há entre vós muitos fracos e enfermos, e muitos que dormem. (ICo 11.23-30).

                                                                      Pastor Renato Moura.