terça-feira, 23 de dezembro de 2008

SOBREVIDA-A nossa alma escapou, como um pássaro do laço dos passarinheiros; o laço quebrou-se, e nós escapamos. O nosso socorro está no nome do Senhor


SOBREVIDA

Renato Moura

Faço poesia sim,
Poesia de trincar a lida,
Poesia de pensar na vida,
Poesia para brindar o fim.

Com meros artifícios,
Sacrifícios não pagam.
Se apagam as luzes,
Pois, no pó se esbarraram.

Mas, se ressurge a luz,
A cruz indica a sorte.
Passou para vida eterna,
E a terna superou a morte.

Anjos de branco nas alturas,
Costuram rupturas sagradas.
Atam as células com suturas,
Se nesta esfera comparadas.

E, se abre o broto no sol,
Passarinhos eclodem no dia.
Comemoram o novo arrebol,
Triscam e piscam a campa vazia.

A nossa alma escapou, como um pássaro do laço dos passarinheiros;
o laço quebrou-se, e nós escapamos. O nosso socorro está no nome do Senhor, que fez o céu e a terra (Salmo 124.7,8).

© Pr. R. Moura – Publicação livre – se indicado o autor.

domingo, 21 de dezembro de 2008

FRASES DIVERSAS - Os seus pepinos precisam ser cortados, os seus abacaxis descascados; e é melhor que você mesmo faça isso; senão outros farão...


A bondade é como um espelho, reflete o que se passa no coração de uma pessoa. (Renato Moura – 20081221)
.
Um sorriso não é um cartão de visitas, mas quebra-o-galho. (Renato Moura – 20081216)
.
Na igreja, preste atenção às palavras do pastor. Ele pode estar falando que os distraídos serão surpreendidos pelo juízo, e você pode se condenar dizendo “amém”. (Renato Moura – 20081216)
.
Um copo de água não é nada para quem não está com sede. (Renato Moura – 20081216)
.
Se o navio estiver afundando, não queira usar um pára-quedas; procure um colete salva-vidas. (Renato Moura – 20081216)
.
Muito cuidado com o que você fala; muitas pessoas pensam que é verdade. (Renato Moura – 20081216)
.
O primeiro degrau é o determinante se você vai subir ou descer. (Renato Moura – 20081216)
.
Se o carro encalhou não adianta ter boa vontade. È preciso se sujar de lama mesmo. (Renato Moura – 20081216)
.
Se a lagoa está infestada de jacarés, não adianta você saber nadar bem. (Renato Moura – 20081216)
.
O difícil é assobiar e chupar cana, mesmo assim, sempre aparece um tolo tentando fazer isso. (Renato Moura – 20081216)
.
Se você não tem certeza que canta bem, é melhor manter a boca fechada. (Renato Moura – 20081216)
.
Não é só pelas aparências que se conhece um homem de princípios, mas, principalmente, pelas atitudes. O problema é que existem bons atores. (Renato Moura – 20081216)
.
Em situações de risco, use uma régua para melhorar. (Renato Moura - 20081216)
.
Não amaldiçoe o dia porque está chovendo; pode ser que você tenha que orar pedindo outro dia assim. (Renato Moura – 20081216)
.
Contente-se com o que tens nas mãos, porque a ganância pode deixá-las vazias. (Renato Moura – 20081216)
.
Se você estiver com muito sono não dirija. Na melhor das hipóteses, um simples piscar de olhos pode fazer você acordar no hospital; na pior, você nem acorda. (Renato Moura – 20081216)
.
Se todos começarem a buzinar atrás de você – não estão cumprimentando, não. É que o farol já abriu. (Renato Moura – 20081216)

Sinais de maturidade: “Eram questões de vida ou morte no passado – hoje não dou a mínima importância para elas”. (Renato Moura – 20071121)
.
Aprenda a cozinhar pelo menos um macarrão instantâneo; porque um dia você precisará fazer algo parecido. (Renato Moura – 20081215)
.
Até mesmo a ferida da mais sofrida separação pode e deve ser cicatrizada. (Renato Moura – 20080215)
.
Não tenho lágrimas suficientes para afogar as minhas mágoas. Tenho mágoas suficientes para sufocar as minhas lágrimas. (Renato Moura – 20080830)
.
Um dia você me dará o devido valor. Quando esse dia chegar, talvez eu nem me importe mais com a sua opinião. (Renato Moura – 20071214)
.
Conforme o lugar onde elas estão, as flores choram ou sorriem – em uma festa ou em um cemitério. (Renato Moura – 20081216)
Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram (Romanos 12.15).

.
Quando você disser que abelhas fazem o mel, não esqueça de dizer que elas picam muito doído também. (Renato Moura – 20081215)
Porque para todo o propósito há seu tempo e juízo. (Eclesiastes 8.6a).

.
Tanto um executivo da cidade, quanto um caboclo do sertão sabe que depois de uma noite mal dormida, o dia não será bem aproveitado. (Renato Moura – 20081215)
Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono (Salmos 127. 2).

.
Na maioria dos casos em que o mal (momentaneamente) vence, é porque convence que não é mal – mas, sim – bem. (Renato Moura)
Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo! (Isaías 5.20).

.
Os seus pepinos precisam ser cortados, os seus abacaxis descascados; e é melhor que você mesmo faça isso; senão outros farão, e aí você não terá desculpa. (Renato Moura – 20081216)
Aparta-te do mal, e faze o bem; procura a paz, e segue-a (Salmo 34.14).

.
Vista-se de justiça, porque a injustiça pode te acusar de atentado violento ao pudor. (Renato Moura – 20081215)
Guarda-me como à menina do olho; esconde-me debaixo da sombra das tuas asas; dos ímpios que me oprimem, dos meus inimigos mortais que me andam cercando (Salmo 17.8,9).

.
Quando se esquece o amor tão depressa, é porque se é muito volúvel ou não era amor. (Renato Moura – 20081212)
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece (I Coríntios 13.4).

.
.
Se você perceber que as crianças sumiram; os melhores cristãos também, e algumas pessoas apavoradas estão dizendo que Jesus voltou... Belisque-se para ver se você acorda. Porque se não for sonho, a sua situação vai se complicar muito mais ainda. (Renato Moura – 20081215)
Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa (Apocalipse 3.11).

.
A vida é como uma auto-estrada; devemos manter cautela porque não sabemos o quê virá depois da próxima curva: um deslizamento; um acidente ou mesmo um guarda com um talão de multas. (Renato Moura – 20081215)
Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? (Lucas 12.20).

.

Na escola da vida eu aprendi que viver tem muitos percalços. Já na escola da Bíblia eu aprendi que, a fé em Deus me permite transpor todas as barreiras. (Renato Moura – 20081215)
E Jesus, respondendo, disse-lhes: Porventura não errais vós em razão de não saberdes as Escrituras nem o poder de Deus? (Marcos 12.24).

.

Palavras são frases dispostas aleatoriamente, sem a preocupação de continuidade. Quando são posicionadas ordenadamente, é possível observar uma possibilidade de abertura para livramento. (Renato Moura – 20081215)
Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo que: eu sou a porta das ovelhas (João 10.7).
.
Quando anoiteceu eu não via nada, porque o escuro não me permitia. Quando amanheceu eu julguei que via tudo, mas descobri que eu piscava demais, e, além disso, muita coisa não valia a pena ser vista. (Renato Moura – 20081215)
E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus (Lucas 9.62).

.

Não se preocupe se ninguém reconhecer as suas boas qualidades. Ao menos uma pessoa fará isso: a sua mãe. Agora, se nem ela reconhecer, é melhor você rever as suas atitudes. (Renato Moura – 20081215)
Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons (Provérbios 15.3).


© Pr. Renato Moura – Publicação livre – se indicado o autor.

sábado, 23 de agosto de 2008

O CANGACEIRO QUERIA BRIGA - Eu quero saber se esse paulista sem vergonha, tem coragem de me enfrentar? Venha logo cabra safado, “sejes home”.


O CANÇACEIRO QUERIA BRIGA

–Será que está aqui, o cabra macho, que tocou o meu cavalo para ir embora? Eu quero saber se esse paulista sem vergonha, tem coragem de me enfrentar? Venha logo cabra safado, “sejes home”.
I
Após ter recebido do Senhor Jesus, a experiência do novo nascimento, e, por ser um homem de temperamento forte e explosivo, Vanildo orava persistentemente a Deus, para que o poupasse de uma discussão qualquer. Pedia para não ser molestado por ninguém, pois não sabia qual seria a sua reação.
Nosso irmão deixou sua esposa Maria das Graças, e os seus dois filhos em São Paulo, onde residem, e viajou para o Piauí, sua terra natal. Foi visitar seus pais e irmãos, e também negociar algumas cabeças de gado que ele possuía. A sua chegada à casa dos seus parentes foi muito feliz. Seu pai o abraçou e sua mãe chorou de alegria, ao rever o filho querido. Seus irmãos, ao serem avisados da sua presença ali, vieram também, para dar-lhe as boas vindas. O que o Vanildo não esperava, era que o diabo já estava lhe preparando uma armadilha...
II
Três dias depois da sua chegada, montando seus cavalos, Vanildo e seu pai estavam levando o gado para beber água no açude. Cuidavam dos animais e de um cavalo muito bonito, de um empregado. Só que na volta, aquele animal se desgarrou dos demais e fugiu, galopando para longe. O dono dele... Era um vaqueiro de sangue quente, arrumador de confusão. Incrédulo, era chamado de cangaceiro, pois só andava armado de punhal e revolver. Quando o vaqueiro ficou sabendo que o seu cavalo fugira, dirigiu-se para a sede da propriedade, onde estava Vanildo, seus parentes e vizinhos. Com a arma na cintura, aproximou-se do grupo e disse: –Será que está aqui, o cabra, que tocou o meu cavalo para ir embora? Eu quero saber se esse paulista sem vergonha, tem coragem de me enfrentar? Venha logo, cabra safado, “sejes home”! Vanildo sentiu o sangue correr mais forte em suas veias. A descarga de adrenalina foi instantânea. Deu dois passos à frente, encarou o “cangaceiro” nos olhos... Já estava para responder no mesmo tom, para matar ou para morrer... quando lembrou-se das suas orações. ...Quis ainda queixar-se com Deus. Senhor... Mas eu orei tanto para não me acontecer isto !? E aí? Vai dar uma de valente? Pois eu vou te enfiar uma bala na cabeça, só para ver o que tem dentro dela. Abre a tua boca, que eu te mato agora mesmo! Vanildo tremia só que não era de medo. Era de surpresa. Ele pensava que nunca aconteceria uma coisa dessas com ele. No entanto estava acontecendo. O diabo o desafiava... Numa fração de segundos lembrou-se das palavras de Jesus... E estes sinais seguirão ao que crerem:
Em meu nome expulsarão os demônios, falarão novas línguas... (Mc 16.17).

Nesse momento, o “cangaceiro” sacou o revolver, apontou para a cabeça do Vanildo. Falou mais um "montão", ofendeu, humilhou... O cristão permanecia quieto, pensando, pensando... Mas em dado momento, estendendo o seu braço, falou: Me dá aqui esse revolver! Todos os que estavam à volta ficaram assombrados, não entendiam o que Vanildo estava fazendo. Será que ele queria morrer como um tolo ? Me dá aqui esse revolver, rapaz! E com uma autoridade incrível, exigiu: –Vai logo, me entregue essa arma ! Ninguém entendia nada. Muito menos, quando o “cangaceiro” segurou o revolver pelo cano e o entregou para o Vanildo. E ainda ficou ali parado, com as duas mãos abertas, sem saber o que estava fazendo... Internamente, Vanildo glorificava a Deus, pelo livramento concedido: --Só mesmo tu, Senhor Jesus, é quem pode fazer essas coisas! Eu te agradeço Senhor, meu Rei, meu Salvador! Quando o “cangaceiro”, que parecia estar dormindo em pé, acordou, perguntou: –Como a minha arma foi parar em suas mãos Vanildo ? Que é que aconteceu? –Foi você mesmo que me entregou. Eu pedi, Jesus mandou, e você me entregou. –Ah, já sei, “tu é crente né”. Só podia ser! “Tá bom, tá bom! Mas, faz um favor para mim... Me devolve a arma. Vanildo pensou que talvez fosse perigoso, devolver o revolver para o “Cangaceiro”. Talvez ele pudesse começar tudo de novo... –Devolve a arma Vanildo, devolve...! – Eu vou devolver... Só que sem as balas. ...Está aqui. Toma, mas, tenha cuidado com isso ! –Não se avexe não, Vanildo, eu não vou “brigá” mais não! O “cangaceiro” sorriu quando a arma foi devolvida, um sorrisinho que pareceu meio maroto, meio estranho. Contudo o cristão, naquele momento, não estava “avexado”. Ele estava alegre com Cristo, estava se regozijando com o Senhor! Vanildo passou o resto da noite em paz. Mas, nem por isso, deixou de vigiar. Pois sabia que na manhã seguinte, faria uma caminhada de seis quilômetros pelo meio “dos matos” e podia ser que o “cangaceiro” ainda quisesse aprontar.
III
Amanheceu! Mais um dia bonito! O sol despontou bem cedo, os pássaros já estavam cantando. Aquele vento fresco parecia convidar para um passeio. Mas ele não podia mais passear, pois já estava de volta para São Paulo. Tudo já estava preparado para aquele pequeno trajeto pela estrada; até o lugar onde o Vanildo, deveria apanhar o ônibus. Imagine quem estava lá, para fazer a cavalgada até a pista, junto com ele? ...O “cangaceiro”. ...É ser crente não é fácil não! É oração, encima de oração! É viver de fé em fé! Nosso irmão sabia disso. E, em espírito, orou mais uma vez. Pediu a Deus, que repetisse o livramento, que o protegesse naquela caminhada. Sabem o que aconteceu? O “cangaceiro” só trocou palavras amistosas com Vanildo. Chegou até, a recriminar outras pessoas que faziam “descaso dele”... –Porque não são crentes, como “é tu”!
IV
Após a viagem, já em São Paulo, Vanildo ficou sabendo que o cavalo voltou sozinho para o sítio. Nosso irmão entendeu que o diabo usou o animal para fugir; influenciou o “cangaceiro” para pensar que alguém queria prejudicá-lo, fazendo descaso dele e ainda espantando seu animal. Mas Deus derrotou a intenção do inimigo, e manifestou o seu grande poder, dando aquele livramento.
E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios, falarão novas línguas... (Mc 16.17).
Em suas orações, ele sempre agradece a Deus, por aquele grande sinal, e pede em favor do “cangaceiro” salvação, graça e misericórdia.

Quando escrevi este texto, o irmão Vanildo e sua família, congregavam na Assembléia de Deus do Jardim Botucatu-SP.

© Pr. Renato Moura – Publicação livre – se indicado o autor.

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

PLACEBO ESPIRITUAL - a disfunção que ela tem é puramente de ordem psicológica, um especialista pode prescrever pílulas de placebo...


Ao avaliar a sua paciente e concluir que a disfunção que ela tem é puramente de ordem psicológica, um especialista pode prescrever pílulas de placebo. Feito só com farinha ou açúcar, o placebo promove cura entre 25 a 75% dos casos: porque é indicado com promessas de que contém propriedades benéficas.

Infelizmente, na área espiritual religiosa, muitos estão ministrando placebo ao povo. E por incrível que possa parecer, um número considerável recebe melhora, porém, apenas de efeito simbólico. Sendo que, em percentual, perde de longe para a eficácia do placebo medicinal.
Deus, porém, através da eficácia da Sua palavra e por Sua infinita graça, continua nos levando a crer, não em meias-verdades; mas, sim, na “Verdade Essencial”, manifestada na pessoa do Seu Filho JESUS.
Só Ele pode mudar 100% uma vida, curando todo o seu corpo, alma e espírito!

E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê (Mc 9.23).

© Pr. Renato Moura – Publicação livre – se indicado o autor.

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

O CHORO DAS BALEIAS - Vem do mar esse mal cheiro? Não! não é verdade! É outra, a realidade – não vem da baleia morta. Vem dessa civilização...

Renato Moura

Por que será, que as baleias choram?

Eu não sei... não sei... Talvez, elas sintam que estão em extinção...

E que brevemente só existirão... na mente, da gente...

E no forte impulso – um salto – e jogam espumas para o alto;

Marcam as águas por um instante, mas, no outro, só restam mágoas.

Estigmas da revolta, contestação contra o arpão, que rasga e que corta;

Assassina carnificina, que mesmo sabendo escassa – caça.

E quando não caça, exclui; e se não; voluntariamente, polui...

E se o espelho não traduz o vermelho da morte,

Foi porque o sangue dessa, não jorrou – estancou – por dentro coitada!

Encalhou de madrugada; apareceu na praia do forte... por fora inchada!

Se desgarrou, perdeu o instinto, o rumo, o prumo... A vida.

Que vida? A mesma dos homens que atiram;

Dos homens – que tiram... dos que não vêem, nem viram – o perigo da vida...

E o sol queima a areia branca; e quem não sabia estanca.

Foi como um tapa na cara, que entrando lá dentro, revolta o estômago...

Vem do mar esse mal cheiro?

Não! não é verdade! É outra, a realidade – não vem da baleia morta.

Vem dessa civilização, que mal resolvida, vai levando e nem se importa.

Se forem eleitas as candidatas, se tiram o leite, ou se enlouquecem as vacas,

...ou se derrubam as matas.

Se amanhecem nos bares, se conspiram aos pares, ou se poluem os mares.

Ah - Esquece!

É melhor, sem afronte vislumbrar no horizonte – o mar – o Atlântico-Sul!

É melhor olhar ao longe e ver – o que as águas verdes, ainda têm de azul...

“Uuuuuuuuu” – “Âââh”...Ouviu?

Por que será, que as baleias choram?

Eu não sei... não sei... Talvez, elas sintam que vão se extinguir...

E que brevemente só existirão... na mente, da gente...

Se a gente ainda existir!

E Deus criou as grandes baleias, e todo o réptil de alma vivente que as águas abundantemente produziram conforme as suas espécies; e toda a ave de asas conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom (Gn 1.21).

© Pr. R. Moura – Publicação livre – se indicado o autor.


domingo, 6 de julho de 2008

GETSÊMANI - Uns poucos seguidores Ele ainda mantinha; mas, eles estavam tão abatidos... E havia o pressentimento que o tempo já estava cumprido.

Getsêmani
Renato Moura
Num momento Jesus clamou:
― Deus meu! Deus meu...
Ele era tão forte, mais do que a morte.
Ele, no passado, se sentira vigoroso, seguro...
Porém, ali o mundo se tornara tão agressivo, escuro.
Ele estivera tão decidido, inspirado;
mas, naquela hora experimenta a agonia;
e ele estava “tão” cansado!
Se existisse um outro modo, uma outra maneira;
um outro jeito, que a Deus fosse direito...
Então, Ele orou:
― Se for possível, passa de mim este cálice!
― Se for possível, passa de mim este cálice!
As boas-novas Ele pregara...Anunciando com palavras, sinais e maravilhas.Fez andar os coxos, deu vista aos cegos,liberdade aos cativos...Pão para comer e água para beber:aos homens, mulheres, filhos e filhas.Mas, a humanidade é obstinada e presunçosa;recalcitrante, revoltara-se outra vez...E bastava só um instante para retornarem aos descaminhos.E quantas vezes, envolvida por idéias insanas e ocas,abandonavam a fonte das águas cristalinas,e no engano, cavavam para si - cisternas rotas.Os três anos do Seu ministério, de repente,tornaram-se muito mais do que um mistério...
A sua estrutura humana gemeu, chorou e Ele clamou:

― Passa de mim este cálice!

Uns poucos seguidores o Mestre ainda mantinha.
Mas, eles estavam tão abatidos...
E havia um pressentimento que o tempo já estava cumprido.
Por livramento Ele ora... Não somente para aqueles,
mas, também, para os outros que viriam.
Implora para que o Seu amor permanecesse neles,
como Deus sempre quis, e ainda quer que seja.
Que o sacrifício, ao qual Ele se entregava,
confirmasse o vínculo da perfeição da Sua igreja.
Ele pede forças para que eles triunfassem nas provações.
E não caíssem nas tentações, nas armadilhas ou ciladas;
suplica por ajuda, para que no dia-a-dia,
eles superassem as lutas mais pesadas.
Aquele era o momento da aflição...
Ele Insiste, então, por sua própria paciência.
E pede a Deus ajuda, mais força e poder.
Mas, naquele instante percebe que os seus discípulos dormiam.
E que, embora Ele mesmo sentisse tanto frio...
Estava suando... Ele estava suando sangue!!!
Mesmo assim, tenazmente clama com fervor.
Para que o Pai o recebesse, acalentasse e lhe desse
a cobertura do Seu amor.
E que neutralizasse toda aquela dor horrível;
E que a Sua presença lhe fosse mais sensível,
concedendo-lhe um pouco de conforto,
naquelas horas derradeiras, ali mesmo, naquele horto
no Jardim das Oliveiras.
Porque o Seu coração estava angustiado em demasia.
E aquele momento era de solidão, tristeza e agonia.
Mesmo assim, ao Pai quis enaltecer – e obedecer!

E em aflição conclui a sua mais difícil oração:
― Pai...
DEUS meu! Deus meu!
Ele estava tão cansado...
― Se existe um outro modo, uma outra maneira, um outro jeito,
Que a ti pareça justo e direito, para selar a verdade;
Se, possível, passa de mim este cálice!
Contudo, não se faça a minha, mas, sim, a tua vontade!
© Pr. R. Moura – Publicação livre – se indicado o autor.

segunda-feira, 21 de abril de 2008

AUTO-HEMOTERAPIA Mito ou Verdade? Alivia a dor provocada por várias doenças e aumenta a dor-de-cotovelo dos contrários. Dr. Luiz Moura

AUTO-HEMOTERAPIA - Mito ou Verdade?
Pelo visto, a prática da “Auto-Hemoterapia” tem servido para aliviar a dor provocada por diversos tipos de doenças nos enfermos. Mas, por outro lado, para aumentar a dor-de-cotovelo nos adversários desse tipo de terapia; a qual veio a público graças à atuação do emérito Dr. Luiz Moura, médico domiciliado no Rio de Janeiro.

Auto-Hemoterapia, segundo a explicação do Dr. Moura, é uma pratica feita a partir da retirada de sangue de uma veia do paciente, geralmente da dobradura do braço, ou seja, do cotovelo; e a imediata reaplicação desse mesmo sangue (sem nenhuma adição) no músculo desse mesmo individuo.

Na maioria dos casos a retirada é de 5 cc a 10 cc e provoca o aumento dos macrófagos, que são os agentes que combatem os fungos, bactérias e vírus, assim como diversos tipos de doenças (as denominadas doenças auto-imunes). Há, então, o aumento dos macrófagos de 5 % que é o percentual normal no corpo humano, para até 22% depois de 8 horas da aplicação.

Essa terapia tem baixíssimo custo, visto ser necessário apenas contar com um profissional habilitado para essa técnica, e materiais baratos como agulhas, seringa descartável e material para assepsia local. E mais nada; pois o ingrediente principal é o próprio sangue do paciente.


Embora pareça ser de total desconhecimento, por partes de alguns, a técnica já foi descrita em publicações da área médica mundial desde o início do século passado. E vem sendo utilizada pelo Dr. Moura, desde 1943 no Rio de Janeiro. Também diversas publicações educacionais têm divulgado o significado desse tratamento.
Nota importante: a ANVISA fez várias restrições à prática da auto-hemoterapia; porém, sob a contestação de várias entidades públicas e privadas, as quais defendem, não só a liberação da terapia, bem como, analises científicas por parte do governo, para comprovar os efeitos benéficos do tratamento, ou mesmo um resultado contrário, se houver. Sendo que, esta é também a posição do Dr. João Veiga Filho, médico cirurgião, secretário de saúde de Olinda-PE que fez aplicações em 15 pacientes do SUS com ótimos resultados, conforme matéria do Jornal “O Estado de São Paulo”, do dia 23/05/2007- página A17.

Já os testemunhos de muitas pessoas curadas de diversos males, sobejam nas páginas da mídia brasileira. Conforme os sites abaixo.

Vem sendo também amplamente divulgada na mídia, a desconfiança de que interesses escusos, por parte do capitalismo do ramo dos laboratórios farmacêuticos, tem coibido a expansão da auto-hemoterapia. Porque quanto mais conhecimento sobre a terapia, menos os enfermos gastariam com outros tratamentos.
As armas do avarento são más; ele maquina invenções malignas, para destruir os mansos com palavras falsas, mesmo quando o pobre chega a falar retamente (Isaías 32.7).
Pastor Renato Moura.
Leia também neste site: artigo sobre Esclerodermia.
Clique aqui: ESCLERODERMIA TEM CURA

Confira também a minha publicação sobre a importância da água.
Clique aqui: A LIBERTAÇÃO E A CURA DE CRISTO VÊM PELA ÁGUA.


Para saber mais sobre a Auto-hemoterapia
acesse o depoimento do Dr. Luiz Moura no Youtube:
ou o site do jornal: Século Diário.

Mais sobre o assunto:
http://www.autohemoterapia.com
 
AGRADEÇO A VC POR SEUS COMENTÁRIOS
Porém, peço aos amigos colaboradores que  identifiquem-se. 
Se vc não faz parte do Google, não há problema; entre como "anônimo" e ao final da sua mensagem coloque o seu nome e se possível seu endereço virtual.
O assunto é seríssimo e é necessário nos posionarmos com clareza e responsabilidade.
Grato pela compreensão.
São Paulo, 13/09/2011 - Pr. Renato Moura 

quarta-feira, 5 de março de 2008

SOB OS SEUS CUIDADOS o seu gato, o seu cachorrinho e também o seu papagaio (se for o caso) e o seu peixinho



Que o Senhor Jesus abençoe sua vida, sua “cara metade”, seus filhos (se for o caso), genros e noras (se for o caso), netos (se for o caso), pais, irmãos, cunhados, tios, primos, sobrinhos e agregados (se for o caso), e enfim: toda a sua família.
E abençoe também os seus vizinhos, conhecidos e os seus amigos...
Que o Senhor Jesus abençoe o seu gato, o seu cachorrinho e também o seu papagaio (se for o caso) e o seu peixinho (se for o caso).

O justo tem consideração pela vida dos seus animais, mas, as afeições dos ímpios são cruéis (Provérbios 12.10).

Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus (I Pedro 4.10).

Fique na paz do Senhor!
Pastor Renato.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

ESCOLA BÍBLICA - EXPERIÊNCIA COM DEUS

Lendo na Bíblia, o Velho Testamento, aumentamos o nosso conhecimento sobre Deus. Seus poderosos e imutáveis atributos, bem como, o seu grande amor para com o ser humano decaído, na ignorância, no engano e na desobediência.
E, ao meditarmos nas páginas do Novo Testamento, passamos não só a receber informações a respeito da concretização do grande projeto de restauração da raça humana, mas, também, recebemos a oportunidade de interagirmos com as verdades ali inseridas. Verdades que proporcionam eficaz salvação àqueles que crêem em Jesus Cristo, principal personagem de todo o conteúdo das páginas sagradas.
Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado (Mc 16.16).
E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo (Ap 12.10a).
Porém, não podemos esquecer que ao sermos agraciados com essa tão grande salvação, ainda somos beneficiados pelas diretrizes morais e sociais contidas nesse surpreendente livro.
Vejamos agora o versículo a seguir, para comprovarmos como a vida do crente pode e deve ser abençoada:
O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem (Rm 12.9). Isso é bênção para a alma!
Mas, medite ainda:
Não me dês nem a pobreza, e nem a riqueza; dá-me o pão que me for necessário; para não suceder que, estando eu farto, te negue e diga: Quem é o Senhor? Ou que empobrecido venha furtar e profane o nome de Deus (Provérbios 30.8,9).
Como a “Palavra de Deus” é maravilhosa! Você concorda ou quer ver mais? E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (Jo 8.32).

Estude a Bíblia Sagrada e obtenha a sua experiência pessoal com Deus!
Que tal você tomar parte no ensino mantido pela EBD – Escola Bíblica Dominical?
Venha nesse domingo participar gratuitamente do estudo sistematizado da Bíblia.

© R.Moura – Publicação Livre – desde que indicado o autor.


segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

OS DOIS LADOS DA MOEDA. E Jesus disse: De quem é esta efígie e esta inscrição?


E Jesus lhes disse: De quem é esta efígie e esta inscrição? Eles lhe responderam: De César. Então ele lhes disse: Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. Mateus 22.20,21

Em todo tempo, homens e mulheres têm sofrido preocupações em suas vidas, quando lhes sobrevêm a falta de dinheiro. Os Cristãos também passam por isso, e até um certo ponto, é natural. Porém, alguns chegam a desesperar-se de tal maneira, que dão a impressão que nunca conheceram a genuína fé. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se transpassaram a si mesmos com muitas dores. 1 Timóteo 6.10

Uma ansiedade muito grande, um vazio interior, uma falta de proteção, um descontentamento generalizado. Todas essas reações são sentidas, em maior ou menor grau, conforme a pessoa. Ou conforme o montante que se presume ser necessário, para solucionar os seus problemas.
Por outro lado, vemos pessoas abastadas, para os quais, aparentemente, não falta nada, que sofrem tudo isso; e muito mais, porque amam ganhar dinheiro. Fazem tudo pelo dinheiro! Se esforçam demais, trabalham demais, fazem negócios honestos e também fazem negócios escusos. Atropelam, ofendem, magoam, e nem se apercebem de nada. Tudo normal ! Tudo por amor ao dinheiro !
O que está acontecendo com o Cristianismo ? Será que o “deus dinheiro” fala assim tão alto aos corações ?

E você, qual é o seu problema ? Falta de dinheiro, ou apego demasiado e desordenado a ele ? Qual é a sua dificuldade ?
Seja qual for, não deixe que a necessidade, ou o amor ao dinheiro aflija o seu coração, e cause descompasso tirando do ritmo normal todos os seus sentimentos.
Dê ouvidos a voz de Deus ! A voz do SENHOR é poderosa; a voz do SENHOR é cheia de majestade. Salmos 29.9

Você não deve se preocupar em demasia, com as finanças. O rei Davi, pai de Salomão, afirmou em oração, que Deus tem todas as condições de proporcionar-nos a vitória. Vejamos: Tua é, SENHOR, a magnificência, e o poder, e a honra, e a vitória, e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu é, SENHOR, o reino, e tu te exaltaste por cabeça sobre todos. 1 Crônicas 29.11

E, Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador enfatizou aos seus discípulos: Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida, sobre o que comereis, nem pelo corpo, sobre o que vestireis. Mais é a vida do que o sustento, e o corpo mais do que as vestes. Considerai os passarinhos, que nem semeiam, nem segam, nem têm despensa, nem celeiro, e Deus os alimenta; quanto mais valeis vós do que as aves? E qual de vós, sendo solícito, pode acrescentar um côvado à sua estatura? Pois, se nem ainda podeis as coisas mínimas, por que estais ansiosos pelas outras? Considerai os lírios, como eles crescem; não trabalham, nem fiam; e digo-vos que nem ainda Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como um deles. E, se Deus assim veste a erva que hoje está no campo e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé? Não pergunteis, pois, que haveis de comer, ou que haveis de beber, e não andeis inquietos. Porque as nações do mundo buscam todas essas coisas; mas vosso Pai sabe que precisais delas. Lc 12.22-30

Ë necessário aceitar a palavra de Deus ! Crer nela, e praticar a palavra. Só assim você poderá viver infinitamente melhor !
Se você está sofrendo por causa de dinheiro, vá até o altar do SENHOR, e ore. Peça a Ele, condições para vencer a sua dificuldade.
Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno. Hb 4.16
A Bíblia Sagrada nos dá muitos conselhos sobre como não nos apegarmos ao dinheiro, e, como sermos supridos de tudo. Não raras vezes, Deus proporciona condições aos seus servos fieis, para que eles consigam o necessário, sem valores, sem usar dinheiro algum.
Ó vós, todos os que tendes sede, vinde às águas, e os que não tendes dinheiro, vinde, omprai, e comei; sim, vinde, comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite. Isaías 55.1
© Pr. R. Moura – Publicação livre – se indicado o autor.

ATALHOS DA ILUSÃO. Dessa maneira não assumem as responsabilidades inerentes, as quais lhes seriam atribuídas, caso admitissem a conformidade bíblica...


ATALHOS DA ILUSÃO
Renato Moura

É imensamente grande o número de pessoas que se agarram a determinados atalhos ilusórios para não entrarem no caminho da realidade.
Dessa maneira não assumem as responsabilidades inerentes, as quais lhes seriam atribuídas, caso admitissem a conformidade bíblica. E assim, vivem explicando o que não podem explicar, esperando o que nunca acontece, fazendo planos que nunca se realizam.
Muitos sabem que não existe a menor chance de ser obtido o êxito almejado, seja ele físico, material, espiritual ou mesmo sentimental; se não houver uma mudança de 180° (alguns chegam a 170°). Mesmo assim, fraudando a si próprios persistem iludidos nos descaminhos do engano.
Porque há e sempre haverá uma exigência, um contra-peso; eles passam a vida toda fugindo dos encargos. Dessa forma, não encontram a possibilidade de usufruir os “tesouros escondidos” que a vida dispõe para os sinceros que, ao levantarem pela manhã, dizem bom dia e esforçam-se para procurá-los. Mas, Deus continua falando a eles e a todos nós:
Vinde então, e argüi-me, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã. Se quiserdes, e obedecerdes, comereis o bem desta terra (Isaías 1.18,19).
© R Moura – Publicação livre – se indicado o autor.

O SUSTO DAS FLORES. Sem camuflagem a mistura do fel vem contrastando com a primavera...


O SUSTO DAS FLORES
                  Renato Moura

Só, na vereda entre a terra e o céu;
Nem o fôlego sinto diante da espera.
Sem camuflagem a mistura do fel
Vem contrastando com a primavera.


Onde está o túnel que não o vejo?
Será que por inteiro ele foi abolido?
E a luz que rutila, findou no despejo?
Eu errei o caminho? está tudo perdido?

Em esforço gigante entreabro a vista,
Com a alma vejo o que eu mais queria.
As flores se mostram, são muitas, dão a pista:
Alterando a rua, o caminho em um jardim.
Ou será que a florescência não estaria,
Decorando a urgência do retângulo para mim?

Prepara-te, ó Israel,
para encontrares com o teu Deus (Amós 4.12b).

© R. Moura – Publicação livre – se indicado o autor.

domingo, 24 de fevereiro de 2008

O TRAVESSEIRO DO BEIJA-FLOR... Hoje redescobri o sal suando, e as lágrimas na face que se amedronta...


O TRAVESSEIRO DO BEIJA-FLOR

Com razão e sem. Cem vezes, sim!

Mas o não é imperativo, fosco, tosco, negativo... Mas, também é positivo sim, ao mesmo tempo. E misturando emoções com o peso amargo-fel das situações imaginárias, mas, que foram criadas, erguidas e feitas concretas... Outro tombo, outro baque desnudando e demonstrando que o nosso amor consistente – não existe. Ele é inconseqüente, frágil, transitório e cruel!

Perderam-se as ilusões da ingenuidade, da doçura e da pureza inexistente.

Ele... Deixou ferida e agonizante a euforia da presença, do desejo, do beijo e das ilusões secretas. O amor...? Não! O imprevisto.

Confesso: os meus olhos não sorriram mais. Mas, as lágrimas... “Ah” elas lavaram a fronha do meu travesseiro. E justo agora, quando o outono se aproxima...

Eu que deduzi que teria o frescor da brisa e das águas calmas cristalinas. Hoje redescobri o sal suando, e as lágrimas na face que se amedronta diante do silêncio na madrugada adentro.

Nunca conjuguei o verbo emudecer, por isso, tenho que me manifestar e permanecer... Não mais nesse ir e vir, para não explodir - por dentro. E se o telefone não tocar em 5 minutos... Melhor, 10 minutos... Não! Trinta minutos... Trinta minutos, nem um segundo a mais! Se eu não receber a sua ligação, inocente, mas, verdadeira e consciente, me pedindo perdão. Não voltarei; jamais! Não. Porque essa maleabilidade fica além da minha capacidade terrena. E além do mais, eu não volto atrás, porque aí sim, eu estaria entrando na outra centena.

O amor foi feito para ser comovido, vivido e sentido de uma forma tranqüila, boa, serena... Cintilante também, multicor... No alvorecer do dia; como nas asas de um beija-flor. Porque ele vem, e com seu vôo ligeiro passa. Mas, deixa estampada na lembrança, o que nem a gente sabia: a beleza da sua graça.

Mas ele sempre volta... Atrevido volta; seguro e desinibido... Tão lindo, tão singelo... Parece que diante dele não há espinho! Será que ele tem travesseiro no ninho? E apenas num piscar de olhos; sem tirar nem por, me vejo voando também... Nas asas do amor!

Ah! Que pena! Com suas penas, multicolorido beija-flor... Você vai e volta ligeiro, mas, o meu ser, aqui, é prisioneiro do descompasso!

Esvaíram-se os minutos; esgotou-se o tempo!

E agora? o que é que eu faço?

© Renato Moura – publicação livre – se indicado o autor daaeudta

Disse Jesus:
Até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais pois; mais valeis vós do que muitos passarinhos (Lucas 12.7).

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

1 Cp. de PERDÃO 1.200 mg. 2 vezes ao dia - É uma palavra fácil de dizer... Você concorda? Não? Vamos... Vamos - é fácil sim...




DESTAQUE:

1 Cp. de PERDÃO 1.200 mg.
2 vezes ao dia

Pr. Renato Moura
Espero que os 5 trabalhos abaixo sejam do seu agrado!
NOVO RUMO
Com Cristo deixarás o vale de lágrimas,
E surgirá um novo tempo, que já está perto.
Chuvas de bênçãos marcarão as suas páginas,
E sorrirás da ameaçadora solidão do deserto.
Não desperdice forças com jóias pequenas,
Porque em breve um tesouro vais alcançar.
Põe todo o esforço, na escalada apenas,
Exercita a tua fé; sobe ainda este patamar.
Mas, uma questão ainda perturba a tua mente,
Que de tanta pressão se mostra incompreensível.
É a névoa insana, cada vez mais presente...
Entretanto, suba; desliza no céu com garbo prumo.
Se tu podes crer, a Palavra diz: a ti, tudo é possível.
Com os olhos de águia, vê – Deus te dá um novo rumo!
Os que esperam no Senhor renovarão as forças,
subirão com asas como águias; correrão, e não se
cansarão; caminharão, e não se fatigarão (Isaías 40.31).
©Pastor Renato Moura – Publicação livre – se indicado o autor.

PESCAR DE NOVO
No mar, o desencanto da ruptura
Sacode nas pedras o véu espumante.
E rebrilham os círculos de ternura,
Em blocos esparsos esvoaçantes.
E nos tênues lampejos das lembranças,
Só vêem parcas migalhas em fragmentos.
Foram tantas ardências de esperanças
Que saíram da tela, fugiram nos ventos.
Mesmo assim, a persistência amarra a linha.
E vem despejando na areia, o canto do sol.
E de repente, vê-se no ocaso que se avizinha,
Que os homens do mar se reanimam, embora...
Trabalhem na trama como se fora um lençol.
E refeitas as redes, saem de novo, antes da aurora.
E Jesus lhes disse: Vinde após mim,
e eu farei que sejais pescadores de homens.
(Marcos 1.17)
©Pr. Renato Moura – Publicação livre – se indicado o autor.

MINHA CONFISSÃO
De vez em quando,
Desnudo a vida.
Quando a chuva desliza,
Descendo a subida.
E o agudo espamo machuca,
No sopro da telha que geme.
Batendo a janela que escuta,
No vidro escorrido que treme.
Por que se desfaz a desdita,
Em copioso pranto por mim?
Não fora eu a lamúria
Do infausto terrível no fim?
Ou foi a insônia sombria,
Daquela dura cama cinzenta
Que faz as noites mais frias,
Faltar-me o véu que acalenta?
Resigno-me a cada manhã,
Ante a profusa luz que brilha.
Quando eu voltar, voltarei no afã,
Vou palmilhar de vez: minha trilha.
Disse Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida;
ninguém vem ao Pai senão por mim (Jo 14.6).
©Pr. Renato Moura – Publicação livre – se indicado o autor.

PERDÃO
É uma palavra fácil de dizer... Você concorda?
Não? Vamos... Vamos - é fácil sim!
Experimente... faça uma forcinha. “Vaaamos”...
Põe os lábios ligeiramente para dentro da boca...
Aperte-os um pouco.
Isso mesmo!
Enche a boca de ar. Não muito, menos da metade dá.
“Ei” não se acanhe!
Já tem um pouco de ar na boca? tem? ... Ótimo.
Agora pense na palavra: PERDÃO.
Está pensando? mesmo?
“Peeense”: per... perdão!
Bem, você está conseguindo... está com os lábios para dentro;
Tem uma relativa quantidade de ar presa dentro da cavidade bucal;
E o que é de extrema importância:
se esforçou e está pensando na palavra “perdão”.
É AGORA: vamos! ...tenha confiança em Deus!
“Fooorça”! você consegue!
Agora fale: PERDÃO.
– PERDÃO!
“Uuufá” Parabéns!
Viu como foi fácil?
O pão nosso de cada dia nos dá hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas,
assim como nós perdoamos aos nossos devedores. (Mateus 6.11,12).
© Pr. Renato Moura – Texto livre, se indicado o autor

1 Cp. de PERDÃO 1.200 mg.
2 vezes ao dia
A excessiva excitação do Sistema Nervoso Central, pode ser decorrente de sensações como: a ansiedade ou o medo. Essa excitação, geralmente, se dá pela interpretação de situações de perigo. E, às vezes, a diferença entre uma e outra é imperceptível. Entretanto, o medo ocorre mais por ação real e concreta; enquanto a ansiedade tem características mais ausentes. A ansiedade provoca sinais psicológicos que apontam o cruzamento entre o físico e psíquico. Já que leva a sintomas físicos como: a batedeira (taquicardia), a transpiração (sudorese), tremores, dor nas costas (tensão muscular), além de dor de cabeça (cefaléia) e desarranjos urinários e intestinais.

Esse estado ansioso que alguns dos nossos irmãos sofreram no passado, fora desencadeado pelo perigo da perda da vida biológica, que lhes era real e verdadeiro.
Hoje, porém, muitos sofrem ansiedade pela possibilidade da perda de conforto, de poder econômico, perda de status, de afetos, de amizades, vantagens, privilégios, entre outras tantas mais. Quantos passam dias e noites se corroendo e se martirizando, pensando naquela pessoa que fez algo desagradável...
Para alívio imediato e duradouro aqui vai uma receita que tem um efeito extraordinário.

Exercícios diários de:

1) Benevolência – promova o bem indistintamente;
2) Cortesia – trate a todos com amabilidade;
3) Prudência – tendo por base a sabedoria da “Palavra”;
4) Honestidade – pratique os princípios bíblicos;
5) Boa-fé – oriente-se pelo Espírito Santo de Deus.
. . .
E para ingerir: tomar 1 Comprimido de PERDÃO de 1.200 mg., 2 vezes ao dia.
Um pela manhã, em jejum; outro à noite, ao deitar.
E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores (Mt 6.12).
De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus (Fp 2.5).


Que Deus nos abençoe!
© Renato Moura – publicação livre – se indicado o autor